O que me vai na cabeça

Quando um povo morre

Posted by GFilipeB em 16/Outubro/2011

Um último tributo a um Portugal moribundo

Posted in Música, Serviço Público, Video | Leave a Comment »

Tide of fire

Posted by GFilipeB em 23/Setembro/2011

And it burns…

Posted in Música, Video | Leave a Comment »

A fallen angel

Posted by GFilipeB em 16/Julho/2011

If even they can’t stay up, what about us?

Posted in Música, Video | Leave a Comment »

Ideias para PORTUGAL

Posted by GFilipeB em 29/Maio/2011

Então como é? Toda a gente se queixa que ninguém dá sugestões de como melhorar o país. Assim sendo, aqui vão umas quantas, a ver se alguém, lá no poleiro, liga alguma coisa:

  • Anulação imediata do acordo Ortográfico – já andamos a escrever suficiente mal para nos darmos ao luxo de deixar que politiquices e comercialices nos digam como escrever ou falar;
  • Redução do número de deputados na AR e eliminação dos deputados eleitos fora do país (quem está fora que se preocupe com o país que escolheu para viver, não faz sentido gastar em representantes fantasmas);
  • Eliminação dos círculos eleitorais como existem agora; da maneira como estão só promovem desigualdades e apenas beneficiam alguns – um círculo nacional ou círculos concelhios serão opções bem mais justas;
  • Reorganização territorial – fusão de concelhos, eliminação de freguesias, que para além de não terem utilidade só servem para alimentar bairrismos bacocos;
  • Extinção dos partidos políticos – todos os representantes deverão ser eleitos de forma individual, preferencialmente a nível municipal; assim a representação é bem mais equitativa. Outra vantagem é o fim das subvenções;
  • Limitação dos poderes do governo – fim dos decretos-lei e de todas as situações em que o governo (que deve ser um mero órgão de gestão) se sobrepõe à AR ou ao PR (ambos eleitos democraticamente);
  • Total independência do governo em relação a qualquer eleito para a AR – o governo deverá sempre submeter-se ao disposto pelo parlamento e deverá ser formado tendo em conta as aptidões e competências de cada um dos seus membros;
  • Extinção TOTAL dos cargos de assessoria; este é um dos maiores cancros deste país. Andamos a ser dirigidos por um grupo de totais anónimos aos quais, ainda por cima, pagamos salários avultadíssimos;
  • Redução de frotas automóveis, para o indispensável, para todos os organismos públicos;
  • Uma vez que seria suposto os deputados serem eleitos a um nível mais próximo das pessoas, acabaria a “necessidade” de assembleias regionais, sendo que os deputados nacionais eleitos por cada região/área de influência acumulariam essas funções; Permitiria também uma regionalização alternativa à muitas vezes proposta a um custo virtualmente nulo;
  • Mantendo as 40h  (8h por dia e 2 dias de descanso) de trabalho semanal, manter serviços e empresas abertos 7 dias por semana – uma forma simples, não só de aumentar o emprego e a produtividade, mas também do cidadão ter ao ser dispor tudo o que precisa, em qualquer dia;
  • Reformular o RSI de forma a que não haja dinheiro directamente envolvido, ou seja, apoio material directo por parte da SS, fazendo com que não haja desperdícios nem fugas de largas somas para financiamento de vícios a toxicodependentes e afins;
  • Limitação de mandatos, não só políticos mas a todos os níveis – a renovação de pessoas é sempre positiva e para além disso evita-se a aquisição de vícios autoritários;
  • Fusão de todas as forças policiais; melhora a eficiência e evita-se a perda de tempo e recursos em comunicações e transições desnecessárias;
  • Privatização imediata da RTP e de todas as empresas que não tenham nada a ver com a administração do território; visto por este prisma o estado deverá manter apenas a ANA, a REN, renacionalizar a Refer e a Brisa (assim como as outras concessionárias);
  • Abrir todo o espaço aéreo do país e fomentar o sector do turismo como bem essencial para o desenvolvimento económico;
  • Recuperação de todas as quotas de produção agrícola e sua entrega a todos os agricultores realmente interessados em produzir. Se a UE não quiser ceder neste aspecto, como noutros, mais vale reconsiderar a presença portuguesa na confederação;
  • Acabar com todo o outsourcing em serviços públicos. A única diferença será a existência de menos gestores/responsáveis/etc.

E muitas mais podia entretanto escrever… mas por agora já são umas quantas.

COMO É?, AQUI VÃO PROPOSTAS!

HAVERIA ALGUM POLÍTICO COM C*LH**S PARA AS APLICAR?

Posted in Opinião, Palavras, Serviço Público | Leave a Comment »

Pale Dreams

Posted by GFilipeB em 24/Maio/2011

Night? Day? Who cares?

(POST #50)

Posted in Efemérides, Música, Video | Leave a Comment »

Lullaby (You’re a child no more)

Posted by GFilipeB em 23/Maio/2011

But don’t worry… a corpse won’t ever age.

Posted in Música, Video | Leave a Comment »

Dias maus

Posted by GFilipeB em 6/Fevereiro/2011

Há dias em que as palavras não chegam…

Posted in Música, Video | Leave a Comment »

Navegar

Posted by GFilipeB em 16/Outubro/2009

Não interessa que mar seja. O importante é não ancorar… Nunca!

Posted in Imagens | Leave a Comment »

500 visitantes…

Posted by GFilipeB em 16/Outubro/2009

… ou a história de um simples blog, cujo conteúdo é pouco mais que nada, que, ainda assim conseguiu atrair até si meio milhar de pessoas…

Obrigado a todos!

Posted in Efemérides, Palavras, Serviço Público | Leave a Comment »

Longa estrada

Posted by GFilipeB em 18/Janeiro/2009

Caminho feito
Passo após passo
Quebrar barreiras
De ferro e de aço
E continuar
Mesmo sem saber
Se há um lugar
Onde possa chegar

Haja em algum lado
Um sítio onde parar
Onde haja algum descanso
Para depois continuar
Sem saber
Se algum dia
Vai haver
Onde chegar

Passo arrastado
Cabeça caída
Veredas estreitas
Becos sem saída
E sem saber
O que virá a seguir
Sem conhecer
A estrada a seguir

Longa estrada
Duro caminho
Longe de tudo
Sem ter destino

Posted in Palavras | Leave a Comment »

Noite fria de Dezembro

Posted by GFilipeB em 3/Dezembro/2008

Água salgada que queima o olhar
Vertida sem saber porquê
Ou sabendo, mas não querendo saber
Tentar ignorar, talvez…
Fazer da vida o que a vida nos faz
Simplesmente não querer saber
(como se fosse fácil…)

Querer fechar os olhos
Não querer ver
Não querer ouvir
Não querer sentir
Querer, sim, que algo mude
Mesmo sabendo que nada vai mudar

Um dia
Outro
Outro
Outro…

Cada vez mais longe
Mesmo sabendo que
(talvez)
Não exista distância

Posted in Palavras | Leave a Comment »

E então?

Posted by GFilipeB em 28/Novembro/2008

Meu caro amigo/minha cara amiga:

Já que se deu ao trabalho de andar pelo Google à minha procura, seria de muito bom tom ter deixado um comentário. Duas ou três palavrinhas eram o suficiente.

Enfim, cumprimentos para si e para os seus donos.

ADENDA: Que querido/a… ainda me foi visitar o MySpace. Espero que saiba inglês.

Já Agora: Quando se procura por um qualquer termo que não contenha espaços, o uso de aspas é absolutamente desnecessário. Aprenda que eu não vivo sempre ;)

ACTUALIZAÇÃO: E continuam a chegar! Se eu soubesse ainda punha anúncios aqui no site – sempre ganhava algum. Enfim, achei realmente piada à pessoa que foi copiar parte de um meu comentário noutro site, para ver se chegava aqui… patético.

Não se esqueçam: Little annoying sister is watching you (Big Brother, neste caso era dar demasiada importância à coisa)

Epílogo: Bem, é verdade que isto está a ser divertido mas tenho mais que fazer. Muito bom fim de semana!

Posted in Palavras, Serviço Público | Leave a Comment »

Pedras

Posted by GFilipeB em 17/Novembro/2008

Cansado…
Tentei fechar os olhos…
Mesmo de olhos abertos tentei dormir…
Mesmo sem dormir ousei tentar sonhar…
E mesmo sem sonhar…
Em todo o meu redor um muro,
Talvez da mesma pedra
Com que alguns corações humanos se fazem…
E mais nada!
Nem céu nem horizonte,
Nem presente nem futuro…
Nem sequer passado.
Seria sonho?…
Como, se estava acordado?
Estaria mesmo?…

Posted in Palavras | Leave a Comment »

Futuro próximo…

Posted by GFilipeB em 4/Novembro/2008

Futuro próximo...

Talvez venha a ser assim… ou talvez não…

Posted in Imagens | Leave a Comment »

A quem cá veio…

Posted by GFilipeB em 6/Outubro/2008

… à procura de conhecimento do que é uma falésia (ou “o qué falesia“), aqui vai!
Se por acaso foi você que perguntou “oq e tempestade“, também tenho a resposta: aqui!
Quis saber “oq e fotografia” e eu dou-lhe a resposta!
Aqui vai alguma informação para quem perguntou “o que Éphotoshop” – também pode vir aqui!

Curiosamente não houve ninguém que se lembrasse de pesquisar “Como escrever em português correcto“… Mas nesse caso talvez fosse encontrar isto…

Cumprimentos!

Posted in Palavras, Serviço Público | Leave a Comment »

 
Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: